Pesquisar este blog

domingo, 13 de maio de 2012

As "Inretidões" da vida

Mãe, inreta isso!

Flavinha aos dois anos e meio

Quantas vezes ouvi minha filha dizer:" -Mãe, inreta isso!" ? 
Perdi as contas! 
Era o máximo ela se referir com essa frase a alguma coisa que eu não estava fazendo com precisão. Ou era seu shortinho torto, ou seu cabelinho mal repartido, ou mesmo alguma outra coisa em meus afazeres . 
Ela não se apertava nunca quando queria se expressar e, se não sabia a palavra correta, inventava. Inretar era para ela o significado de fazer alguma coisa corretamente. 



Aprendemos juntas com o passar dos anos que muitas coisas não se "inretam"  e que vêem tortas mesmo para a gente aprender com elas e superar muitas dificuldades.
Enfim, são as "inretidões" da vida que nos fazem ser quem somos.

Hoje cedo ao ganhar o presente do Dia das Mães


Hoje é Dia das Mães e ela já é Mãe....e que Mãe amorosa!
Hoje me divirto assistindo as repetições das "inretidões" da vida e tendo a certeza que estamos no caminho certo, isto é, vamos em direção reta ao amadurecimento, saboreando as pequenas felicidades do dia a dia.

Hoje cedo ao ganhar o presente do Dia das Mães


Flavinha, obrigada minha amada filha, por tudo! 
Pela alegria de ter me feito Mãe com todos os defeitos e qualidades que me eram de direito.
Pela imensa felicidade de ter me feito Avó, com todas as alegrias que me deu de direito.

Giovanna, minha amada Neta

Você e Giovanna são os maiores presentes da minha vida. Inretos ou não!

Giovanna e suas filhinhas 

Olhando essa foto de Giovanna não há como negar: 
A vida se repete nas "inretidões" 

É ou não é?



Um comentário:

  1. que belo post!

    é bom demais ser mãe!!

    feliz dia pra vc, Edna!

    beijo

    ResponderExcluir